Slide item 1

Origem

A Raça Alentejana é única e valorizada em todo o Mundo pela sua autêntica genuinidade.

A Raça Alentejana é única e valorizada em todo o Mundo pela sua autêntica genuinidade.A Raça Alentejana é descendente do sus mediterraneus javali do sul, derivando do tronco ibérico ou românico. Até ao início do século XX, existiam na Península Ibérica duas grandes populações de porcos autóctones. Os Celtas, com origem nos porcos nórdicos e os chamados Ibéricos, oriundos dos porcos mediterrâneos. Estas duas populações, para além de possuírem diferentes origens raciais, também viviam num habitat bastante diferenciado. Os Celtas desenvolviam-se no Noroeste da Península, em bosques do tipo atlântico e zonas de clima suave que resultavam num sistema de alimentação baseado no aproveitamento das ervas, forragens e tubérculos durante todo o ano e aproveitando frutos como a castanha na época de Outono / Inverno. Pelo contrário, no Oeste e Sudoeste da Península os porcos Ibéricos, dispunham de um habitat baseado nos bosques tipo mediterrâneo com grande abundância de azinheiras e sobreiros que lhe conferiam grande disponibilidade de bolotas e landes, durante o Inverno e bastante erva na Primavera, mas com grande escassez de alimentos durante o Verão e o princípio do Outono. Como resultado destas diferenças, desenvolveram-se dois tipos de animais bastante diferentes, sendo essas diferenças bastante acentuadas devido essencialmente aos diferentes sistemas de alimentação das populações rurais das áreas geográficas onde estes animais se foram desenvolvendo. Nos porcos Celtas, a sua produção foi canalizada para a comercialização de carne fresca e produtos de salsicharia, enquanto nos porcos Ibéricos as suas carnes e toucinhos eram canalizadas para produtos curados e de larga duração.

 

O origem da raça porco preto alentejano


Actualmente, o porco preto alentejano atingiu uma grande importância como suporte da alimentação humana, em Portugal, quer como fornecedor de carne para consumo em fresco, quer como fornecedor de matéria-prima para a elaboração de enchidos, que mediante vários processos de conservação garantiam o seu consumo durante todo o ano. Historicamente preservada em Portugal, a Raça Alentejana é única e valorizada em todo o Mundo pela sua autêntica genuinidade. A produção extensiva tradicional ou em modo biológico de porco Alentejano utilizando os recursos alimentares dos montados constituem excelentes exemplos do que devem ser os actuais sistemas de produção animal: tecnicamente apropriados, economicamente viáveis, socialmente aceites e ambientalmente correctos. Hoje existem interesses adicionais neste produto e na preservação e melhoramento da raça. O porco prero alentejano “é uma mais-valia sobretudo para as regiões extensivas de sequeiro” onde predomina o montado de sobro e azinho, onde pastam em total liberdade no montado durante 18 a 24 meses, em regime extensivo, chegando até ao consuimidor final carne saborosa e de qualidade garantida. Portugal reúne óptimas condições para a criação do Porco Alentejano

Change your language: